logo

Aliança Francesa promove Festival de Cinema Francês em Aracaju

Eleito, no último ano, o maior festival de cinema francês do mundo, o Varilux volta a acontecer em Aracaju e em outras 60 cidades brasileiras. A mostra 2018 traz  21 filmes participantes, sendo 20 longas-metragens da nova safra da cinematografia francesa e um clássico: o famoso Z, de Costa-Gavras que serão exibidos no período de 7 a 20 de junho. Na capital sergipana, a pré-estreia acontece no próximo dia 5 de junho no Centro Cultural de Aracaju, localizado na Praça General Valadão com a exibição do ‘Amante Duplo’, último longa-metragem de François Ozon. O drama traz no elenco Marine Vacth, Jérémie Renier e Jacqueline Bisset.

O evento promovido pela Aliança Francesa de Aracaju, associação sem fins lucrativos, já faz parte do calendário cultural da cidade, sendo bastante aguardado anualmente por exibir o que há de mais atual da produção francófona. “O Festival Varilux de Cinema Francês já se consolidou como um dos principais eventos incentivadores da cultura francesa no Brasil. Tornou-se um marco simbólico e um momento muito esperado pelos apaixonados pela sétima arte. Nós da Aliança Francesa de Aracaju ficamos muito orgulhosos em realizar esse evento. É uma oportunidade de difundir e promover a diversidade cultural junto ao público sergipano”, afirma o diretor da Aliança, Carlos Hermínio de Aguiar Oliveira.

Funcaju

Pres. da Funcaju, Cássio Murilo

Na edição deste ano, a realização do Festival conta com a parceria da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju). “A Aliança Francesa e a Funcaju são duas instituições que atuam na difusão e promoção da arte e da cultura. Ressalto aqui, que a Aliança tem contribuído, historicamente com a formação do nosso povo. Contribuir para a realização do Festival de Cinema é uma oportunidade ímpar e grandiosa. É levar Aracaju ao mundo francófono e, assim, trazer o mundo francófono para Aracaju, afinal o cinema francês sempre teve seu espaço de destaque no coração dos amantes da sétima arte”, disse Cássio.

Programação

O público terá a oportunidade de assistir aos mais novos trabalhos de cineastas, astros e estrelas já consagrados e também de premiados jovens talentos que imprimem diversidade e originalidade ao cinema francês. Entre as produções, destacam-se três filmes da nova geração francesa de cineastas, designada várias vezes pela crítica de “nouvelle guarde”: “Custódia” (Jusqu’à la garde), de Xavier Legrand, que acompanha a disputa entre um casal pela guarda do filho. O longa foi vencedor do Prêmio de Melhor Direção e Melhor Primeiro Filme no Festival de Veneza. “A Excêntrica Família de Gaspard” (Gaspard va au marriage), de Antony Cordier, comédia maluca e melancólica sobre o adeus à infância, desejo e tempo. “Diane” (Diane a les épaules), de Fabien Gorgeart, em que uma mulher concorda em gerar o filho de um casal de amigos homossexuais, abordando com humor e ternura a temática dos novos modelos familiares.

Também obras de jovens cineastas, dois filmes de gênero pouco comuns na França tem como cenário uma Paris pós-cataclismo. Ao mesmo tempo uma sátira social e um filme de zumbis, a longa de Dominique Rocher “A Noite Devorou o Mundo” (La nuit a dévoré le monde) mostra a cidade invadida pelas criaturas, com um único ser humano tentando sobreviver. Na mesma veia, “O Último Suspiro” (Dans la brume), do quebequense Daniel Roby, mostra uma família tentando se salvar após uma contaminação química, com Romain Duris no papel principal.

O CLÁSSICO – “Z”, DE COSTA-GAVRAS

O clássico do Festival Varilux 2018 é um marco do cinema político mundial: “Z”, de Costa-

Cl´ssico ‘Z’

Gavras. Completando 50 anos de sua filmagem, o filme-denúncia foi inspirado no assassinato do deputado pacifista grego Lambrakis, cuja investigação foi escandalosamente encoberta por uma rede de corrupção e ilegalidade. O roteiro, escrito por Costa-Gavras e Jorge Semprún, retrata o período de incubação do fascismo e das ditaduras militares e revela a fragilidade da democracia diante da mentira como método de governo e da passividade cômoda do povo. O filme, que tem início com uma advertência nos créditos: “qualquer semelhança com eventos e pessoas da vida real não é coincidência, é intencional” se mostra sempre relevante e atual.

O DOCUMENTÁRIO – “A Busca do Chef Ducasse”

O documentário (gênero sempre presente no Festival) “A Busca do Chef Ducasse” (La quête d´Alain Ducasse), dirigido pelo renomado repórter e documentarista Gilles de Maistre, levará o público numa viagem fascinante nas grandes metrópoles do planeta – inclusive no Brasil – com o mais renomado chef de cozinha do mundo. Esse documentário será exibido também no âmbito das ações educativas, nas escolas e universidades dedicadas à gastronomia.

Em Aracaju, os filmes serão exibidos em dois cinemas: Vitória e Cinemark Shopping Jardins. Confira a programação e os filmes no site: www.afaju.com.br

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Open chat
Olá!
Como posso ajudar?
Powered by